Gestão “com” pessoas – O desafio da diferença



por Telma Vilela Borges Merjane, MSc

 

Tema que passa a exercer lugar de destaque no ambiente organizacional. “Se considerarmos que os princípios da gestão são o planejamento, a organização e o controle, entenderemos que sem esses três atributos nenhum dos grandes avanços da humanidade recente, seriam possível acontecer, pelo menos com a qualidade e a velocidade com que surgiram.” (Mussak, 2010).
A Arquitetura, é arte que surge da relação bidirecional – entre o homem e o espaço construído, da maneira e compreensão que organiza, dá sentido, apodera e identifica os seus ambientes. Com a evolução da história que acompanhou o desenvolvimento da sociedade de todos os povos com características específicas na própria cultura.

 

De acordo com (Ribeiro, 2005), “ …pesquisas indicam um crescente interesse das empresas pela gestão do conhecimento, e prognosticam que as organizações destinarão, de forma contínua, mais recursos para essa área.” Acrescenta ainda, que “no mundo atual, o conhecimento se transformou na matéria-prima determinante da vantagem competitiva.”
Acredita-se, que a história do Design teve a sua marca-origem no Egito Antigo, profissionais que são verdadeiros artistas ambientais, atendendo demandas específicas com cores, levezas e encantamento para ambientes exclusivos com dedicação, com expressões da história, cultura, valores, beleza e equilíbrio com competência ímpar, década a década.

 

A globalização apresentou estabilidade em diversos sistemas, promovendo a cooperação e alianças em segmentos variados.
A partir dos anos 80 uma nova configuração organizacional –, apresentou implicações na reorganização e um novo olhar nos processos de gestão no ambiente de trabalho e relacionamento com os stakeholders.
Essas mudanças em diversos setores, tais como social, cultural, antropológico, negócio-mercado, etc, indicam um olhar voltado para a sociedade do conhecimento.

 

Conforme relata (Dutra, 2011), “o ambiente onde nos inserimos exige um modelo de gestão de pessoas que estimule e ofereça suporte ao desenvolvimento mútuo da empresa e das pessoas e que ofereça a ambas orientação para esse desenvolvimento de forma clara, simples e flexível.”

A soma de histórias e experiências das pessoas na vida e no trabalho, promove o diferencial competitivo e estabelece relações de grande vantagem na troca multiprofissional, e passam a reconhecer característica fundamental na relação bidirecional entre profissionais e clientes em mercado contemporâneo.
Quais são as estratégias de negócio de trabalho na estrutura empresarial? Sabe- se que para atender aos requisitos em todos os segmentos é importante foco e que todos “são chamados e estimulados a pensar, sob algumas condições para a saúde das relações”(Bitencourt, 2004), a seguir.
1. Pensar de forma compatível com a hierarquia de poder;
2. Pensar seguindo sempre as prioridades das empresas para o desenvolvimento profissional;
3. Pensar de forma integrada com os demais participantes da empresa, formando um sistema e um time, a fim de selecionar o melhor pensamento para o reconhecimento micro e macro organizacional. (adaptação Bitencourt, 2004)).

 

O novo papel da gestão “com” pessoas, propicia a preocupação com o fortalecimento do capital intelectual como forma de gerir estrategicamente.
Segundo (Mussak, 2010), “o homem, para se adaptar ao meio em que vive, desenvolve processos psicológicos (emoções, afetos, sensações, entre outros) de acordo com a sua experiência, o que resulta na individualidade de cada ser.” Por trás de todo comportamento do indivíduo, existem diversos fatores que interagem simultaneamente, com respostas aos estímulos externos e internos ao ambiente que está inserido.
Como lidar com mudanças e ruídos na gestão de escritórios de Arquitetura e Design? De que maneira analisar e compreender prontamente o processo de comunicação para ampliar a capacidade de atingir ou superar os objetivos estabelecidos, por meio de uma relação de parceria com todas as pessoas do processo-projeto.
Salienta-se ainda que, ao ampliar a visão para uma atmosfera saudável, sem sombra de dúvidas ocorrerá uma harmonia que permeia o projeto-empresa, estratégias e pessoas.
Conforme relata (Marques, 2004 – Bitencourt (Coord), “as relações interpessoais com seus concomitantes e possíveis apoios afetivos ocorrem nas organizações e, particularmente, nas equipes de trabalho como decorrência natural da convivência e da tendência à conectividade que é própria do “ser- humano-em-relação.””

 

Ampliar a visão e manter a estabilidade, aponta para a busca de sabedoria em gerenciar conflitos, a fim de minimizar os riscos de relacionamentos e dos resultados do projeto, onde o aprendizado contínuo se torna parte da tarefa diária no exercício profissional.
“A aprendizagem organizacional pode ser considerada uma resposta alternativa às mudanças enfrentadas pelas empresas, em que se busca desenvolver a capacidade de aprender continuamente a partir das experiências organizacionais e a traduzir esses conhecimentos em práticas que contribuam para um melhor desempenho, tornando a empresa mais competitiva.” (Bitencourt, 2004).

 

Como ocorre a aprendizagem e ainda manter o foco no desenvolvimento de estratégias? Torna-se uma construção permanente para se atingir os melhores resultados em todas as experiências e práticas com gestão de processos e pessoas.
Para (Gasalla-Dapena, 2007), “o conflito, as crises, as posições encontradas são para nós possibilidades de novos desenvolvimentos e oportunidades. Somente através da crise e do “degelo” pode vir o crescimento.”

 

A comunicação torna um processo fundamental que constituem a base e eixo para as atividades no ambiente profissional, a fim de minimizar conflitos existentes. “É o processo de comunicação que permite ao ser humano estabelecer contatos, expressar seus desejos e aprender a partilhar conhecimentos” (Mussak, 2010). A comunicação empresarial se constitui em um método integrado que orienta o relacionamento da empresa com o público de interesse, ou seja, apresenta mensagem que vincula diretamente o público ao seu negócio, e possui poder estratégico.

 

O que o seu cliente deseja?

No início de cada desenvolvimento de projeto, uma das etapas mais importantes é identificar o desejo e a verdadeira necessidade de seu cliente, pessoas ou corporações “que podem ser afetados positivamente ou negativamente pelos resultados do seu projeto.”(Sohler, 2019). E como consequência influenciar toda a equipe composta para essa execução.
(Mussak, 2010), aponta um olhar diferenciado, no que refere à competências e mudanças na gestão de pessoas. se tratando do contexto da complexidade em que a sociedade e as empresas se encontram atualmente, onde o gestor deve apresentar um perfil de competências que se desloque para apresentar domínio das questões estratégicas , uma liderança que valoriza cada membro da equipe, favorecendo o surgimento de emoções que promove a excelência da produtividade.

 

Qual é o seu ritmo de atuação técnica e gerencial? Você acredita na possibilidade de correlacionar o processo de desenvolvimento mútuo entre pessoa e empresa-escritório?
Acredita-se que para abranger as bases formadoras de gestão “com” pessoas, na sua orientação e evolução, torna-se fundamental a compreensão do momento atual e os desafios presentes e futuros que a curto, médio e longo prazo nos aguardam.
Considerando o fato que a gestão entremeia todo o ambiente da organização, o patamar de excelência requer inevitavelmente evolução e maturidade pessoal e profissional.
Amplie a sua visão e mantém a estabilidade nas áreas de conhecimento e habilidades necessárias para a gestão em cada etapa do ciclo de vida de cada projeto específico. Daí a importância de pensar sobre a gestão “com” pessoas, como objetivo de construir equipe integrada e engajada com resultados.

 

“A prática de união entre os valores pessoais e os da organização, pode mediar a motivação dos funcionários nas empresas, em todos os segmentos.”(Merjane, 2019 – Sohler – Coord).
Controlar e monitorar o desenvolvimento, apresenta demanda e grandioso esforço, em cenário dinâmico e contemporâneo principalmente em um momento atípico e mundial. Apresenta indicadores em cada uma das situações e com olhar multi modal, qual iniciativa adotar para que seu trabalho e projetos possam ganhar visibilidade e ter a percepção de adequar para a demanda exigida no momento e para o futuro.

 

Qual foi a evidencia imprescindível que exige atitude à realidade presente, imposta pela pandemia? O que a realidade aponta para os desejos, necessidades e importância de projetos, para atender o desenvolvimento de trabalhos em Home Office?
De que maneira você percebe e acompanha essa transformação dos ambientes nesse cenário atual? Exigências que altera a rotina com sensibilidade às convivências, ressignificando o contexto de cada ser humano no mundo, com o mundo no ser, na apresentação de respostas rápidas e pragmáticas para a dinâmica de todas as culturas e povos em essência e existência.

 


Referências

Bitencourt, Cláudia e orgs – Gestão Contemporânea de Pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais – Porto Alegre: Bookman, 2004.
Dutra, Joel Souza – Gestão de Pessoas: modelo, processos, tendências e perspectivas – São Paulo: Atlas, 2011.
GASALLA-DAPENA, José Maria – A Nova Gestão de Pessoas: O talento executivo (trad. Global Translation)- São Paulo: Saraiva, 2007.

Mussak, Eugênio – Gestão humanista de pessoas: o fator humano como diferencial competitivo – Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

Ribeiro, Antônio de Lima – Gestão de Pessoas – São Paulo: Saraiva, 2005.

Sohler, Flávio Augusto Settimi (Coordenador) – Gestão e Modelagem de Projetos para Engenheiros e Arquitetos – Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., 2019.


Sobre Telma Vilela Borges Merjane
Psicóloga – PUC-GO, Mestre em Ciências Ambientais e Saúde – PUC-GO, Especialista em Gestão e Coordenação de Grupos, Especialista em Desenvolvimento Humano, Formação da Devolutiva da Jornada do Autoconhecimento, Formação em Eneagrama; DISC e MBTI, Diretora Executiva da Merjane Consultoria e Negócios Ltda (25 anos no mercado), Mais de duas décadas atua na área de T&D com atividades e Vivenciais e Esportes de Aventura, Psicóloga com atuação Esportiva – Eventos Esportivos: Rally dos Sertões e Regionais, Caminhada Ecológica e atendimento de atletas de Alto Rendimento, Trabalha no Terceiro Setor com o Desenvolvimento Humano, Filiada a SBNeC (Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento), Conselheira no CRP 9ª. Região, Atuação no IPOG: 2007 – atual, Mais de duas décadas atuando na Construção Civil no Brasil. Avó de Maria Alice.